Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10437/2142
Título: Frequência de infecções urinárias em ambulatório : dados de um laboratório de Lisboa. Parte I
Frequency in urinary infections on ambulatory care - data from a laboratory in Lisbon, Portugal. Part I
Autores: Mendo, André
Antunes, Joana
Costa, Maria do Céu
Pereira, Paulo Marques
Monteiro, Carla
Gomes, Cristina Ferreira
Gomes, Joana Ferreira
Palavras-chave: MEDICINA
SISTEMA URINÁRIO
MEDICINE
URINARY SYSTEM
INFEÇÕES
INFECTIONS
ESTUDOS DE CASO
CASE STUDIES
LISBON
LISBOA
Editora: Edições Universitárias Lusófonas
Resumo: As infecções urinárias são uma das principais causas de doença em Portugal, variando conforme sejam infecções urinárias adquiridas na comunidade ou infecções urinárias nosocomiais. Neste estudo determinou-se a prevalência dos microrganismos, presentes nas amostras de urina obtidas pela técnica asséptica em doentes com infecções urinárias em ambulatório.Este estudo foi realizado no primeiro semestre do ano 2006, utilizando os dados recolhidos num laboratório de Lisboa. Foi um estudo observacional, descritivo e transversal. Foram incluídos todos os indivíduos que obtiveram um diagnóstico positivo na realização dos exames bacteriológicos (urinoculturas). Nos meses de Janeiro a Junho de 2006, primeiro semestre, foram realizadas 2820 urinoculturas, das quais 385 foram positivas. Destas, 334 (86,75%) pertenciam a indivíduos do sexo feminino e 53 a indivíduos sexo masculino (13,25%).A média de idades dos indivíduos foi de 55,25 anos (± 24,18 DP). As bactérias responsáveis pelas infecções do tracto urinário com maior frequência foram a Escherichia coli (63,6 %), Proteus spp.. (11,9 %), Enterococcus spp.. (7%) e Klebsiella spp.. (6%). Deste estudo concluiu-se que as percentagens verificadas de agentes infecciosos, responsáveis pelas infecções urinárias na comunidade, coincidem com padrões encontrados em estudos internacionais. Estas conclusões referem-se a um laboratório de Lisboa, carecendo de estudos semelhantes ao nível nacional, para caracterização do fenómeno em Portugal.
The urinary infections are one of the main causes of disease in Portugal, varying as they are nosocomial infections or acquired in the community. In this study we intended to determine the prevalence of the micro-organisms, which causes urinary infections, obtained from the samples of aseptic urine. This study was accomplished in the first semester of 2006, using the data picked up in a Lisbon's laboratory. It's an observational, descriptive and cross study, including all the individuals that obtained a positive diagnosis in the accomplishment of the bacteriological exams (urine cultures) of a total of 2820 samples, in which 385 were positive, 334 (86,75%) belonging to females and 53 to male individuals (13,25%). The average of the ages was 55,25 years (± 24,18 SD). The higher frequency agents were Escherichia coli (63,6%), Proteus spp.. (11,9%), Enterococcus spp.. (7%) and Klebsiella spp.. (6%). This study lead to the conclusion that the general rate profile of infectious agents found as responsible for the urinary infections in the community within the data treated, is coincident with patterns found in international studies. The study herein reported is limited to a laboratory in Lisbon, being desirable for a further study either the characterization of this phenomena at national level, and also the additional collection of the correlated antibiotic susceptibility data for the identified ethiological agents.
Descrição: Revista Lusófona de Ciências e Tecnologias da Saúde
URI: http://hdl.handle.net/10437/2142
ISSN: 1646-3854
Aparece nas colecções:Revista Lusófona de Ciências e Tecnologias da Saúde, Ano 5, nº2 (2008)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
48-124-1-PB.pdf196.37 kBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.