Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10437/13088
Título: Insegurança alimentar em agregados familiares no Algarve
Food insecurity in the households of the Algarve
Autores: Pinto, Ezequiel
Guerreiro, Filipa
Gregório, Artur
Mateus, Maria Palma
Palavras-chave: MEDICINA
SEGURANÇA ALIMENTAR
DIETA MEDITERRÂNICA
MEDICINE
FOOD SAFETY
MEDITERRANEAN DIET
ALGARVE
Editora: Edições Universitárias Lusófonas
Resumo: Observatório Regional da Segurança Alimentar levou a cabo a primeira avaliação da insegurança alimentar em agregados familiares do Algarve, com o objetivo de caracterizar a insegurança alimentar na região e identificar determinantes socioeconómicos e de estilo de vida associados. Realizou-se um estudo transversal numa amostra aleatória estratificada de agregados familiares, com inquirição por entrevista direta a um interlocutor de cada agregado. Recolheu-se informação sociodemográfica, antropométrica, sobre insegurança alimentar e sobre adesão ao padrão alimentar mediterrânico. Analisou-se os dados com o software IBM-SPSS, versão 22. A amostra final foi composta por 384 representantes dos agregados. Cerca de 24% dos agregados apresentava insegurança alimentar ligeira, 3% apresentava insegurança alimentar moderada e 2% apresentava insegurança alimentar grave. Apenas 25% dos agregados apresentou adesão ao padrão alimentar mediterrânico. O desemprego no agregado familiar, a existência de hábitos tabágicos e a baixa adesão ao padrão alimentar mediterrânico parecem estar associados a maior insegurança alimentar (p<0,005). A instrução a nível do Ensino Superior pode ser um fator protetor para a insegurança alimentar (OR=0,78, IC95% 0,66-0,92). Ainda que sejam necessários estudos futuros sobre determinantes da insegurança alimentar, este trabalho pode contribuir para ajustar as metodologias de intervenção nesta área às características dos agregados familiares do Algarve. Palavras-chave: Algarve; Insegurança Alimentar; Dieta Mediterrânica
The National Health Directorate considered that an assessment of food insecurity was a priority for the Algarve region. This study reports the results of the Regional Observatory for Food Security, which aimed to identify socioeconomic determinants, lifestyle risk factors, and prevalence of food insecurity in the Algarve. We conducted a cross-sectional study in a random, stratified, sample of households in the Algarve, with data regarding sociodemographic, anthropometric, food insecurity, access to places where food is sold, and Mediterranean diet adherence variables, collected through a direct interview conducted to a representative of the household. Data analysis was conducted with the IBM-SPSS software, version 22. Approximately 24% of households had mild food insecurity, 3% had moderate food insecurity, and 2% had severe food insecurity. Only 25% of participants had good adherence to the Mediterranean Diet. Unemployment in the household (rSpearman=0.116; p<0.05), smoking habits (rSpearman=0.193; p<0.05), and low adherence to Mediterranean Diet (χ2= 6.7; p=0.01) seem associated with greater food insecurity. An odds ratio analysis shows that having a higher education degree can be a protective factor for food insecurity (OR=0.78; 95%IC 0.66-0.92). Alhtough further studies are needed in order to assess in detail the determinants of food insecurity, this work can contribute to tailor food and nutrition interventions in the region. Keywords: Algarve; Food Insecurity; Mediterranean Diet
Descrição: Biomedical and biopharmaceutical research : jornal de investigação biomédica e biofarmacêutica
URI: http://hdl.handle.net/10437/13088
ISSN: 2182-2360
Aparece nas colecções:Biomedical and Biopharmaceutical Research Vol.19 n.º1 (2022)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
bbr.19.1.282.pdfArtigo1.37 MBAdobe PDFVer/Abrir


Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.